.Diana

.Março 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
25
26
27
28
29
30
31

.pesquisar

 

.posts recentes

. Licenca Internacional de ...

. Cruzeiro Com a Host Famil...

. Voltei para ficar

. Sonho realizado #3

. Prendinha da Host Family

. Diferencas Culturais #2

. Nao vivo sem #2

. A minha nova casa

. Participacao no Blog S.O....

. Nao vivo sem #1

.arquivos

. Março 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Abril 2009

. Março 2009

.Visitantes

Visit http://www.ipligence.com

.Visitas ao Blog

Website Traffic Counters
Dell Coupon Codes
blogs SAPO

.subscrever feeds

Sábado, 12 de Junho de 2010

A saudade já aperta...

Nunca estive longe o suficiente para sentir realmente saudades, daquelas esmagadoras, que nos fazem deitar tudo para trás das costas e voltar para a pessoa que sentimos falta. O máximo que estive longe da minha família foi um mês, mas encontrava-me em Portugal e sabia que a qualquer momento podia voltar.

Agora sei que vai ser diferente vou estar um ano longe de todas as pessoas que me são queridas, de todos os que sempre me apoiaram e me querem bem e porquê? Porque decidi dar um rumo a minha, decidi fazer algo que mais tarde vou recordar – decidi realizar o grande sonho da minha vida – viver nos EUA.

 

Quando falei com os meus pais acerca da minha decisão, não me levaram muito a sério, pensaram que seria mais uma das minha ideias malucas e que iria esquecer rapidamente. Pois, mas o tempo foi passando e esta ideia foi persistindo, já dava por mim a dizer “ quando eu for para os EUA…”, e os meus pais olhavam para mim e encolhiam os ombros, como quem diz essa ideia há-de passar.

 

Quando fiquei on-line tive o contacto da primeira família, eles viram que as coisas estavam a ficar mais sérias e que provavelmente iria mesmo para os EUA. Então ai eles começaram a fazer mais perguntas e até os mails que as famílias me enviavam eu lia para eles.

 

Apesar de ser filha única, nunca tive uma relação muito próxima com os meus pais, não era do tipo de contar tudo aquilo que se passava comigo. Sempre fui muito independente, nunca gostei de dar satisfações, pode-se dizer que cheguei a dar ( e ainda dou) algumas dores de cabeça à minha mãe. Coitadinha teve que aturar muito.

Ainda agora não sou muito de desabafar, prefiro guardar as tristezas e alegrias para mim, mas o facto de ir para os EUA tem feito com que me aproxime mais dos meu pais. E estou a gostar bastante desta sensação.

 

Nunca dei muito valor ( ou não quis reconhecer) os esforços que os meus pais sempre fizerem. Sempre fui muito dona do meu nariz, e agora arrependo-me de varias atitudes.

Ainda noutro dia fui encontrar a minha mãe a chorar, quando me viu disfarçou, mas eu sei o motivo. Imagino as preocupações que vão na cabeça dela agora que o dia do embarque está cada vez mais perto.

 

Gostaria de chegar a vossa beira e dizer o quanto gosto de vocês e dar um abraço bem apertado, mas o orgulho (ou sei lá o que) me impede de o fazer. 

 

Este post é dedicado aos meus pais que amo do fundo do coração, apesar de saber que eles não vão ler ( nem sequer sabem da existência do blog). Vou sentir muitas saudades vossas.

 

E vou parar por aqui porque as lágrimas não me deixam escrever mais.

 

 

 

 

Parque nas Nações, Lisboa 2009

 

publicado por Diana às 22:12
link do post | comentar | favorito
|
7 comentários:
De Fabiane a 13 de Junho de 2010 às 00:33
OI Diana!!!!
Falta pouquíssimo tempo para o nosso embarque! A saudade realmente começa a apertar!Eu sempre fui muito próxima da minha família, minha mãe principalemente! Falo Eu te amo pra ela várias vezes ao dia... e não só pq estou indo viajar...SEMPRE foi assim!
E eu quero muito te dizer!!! DIGA EU TE AMO! sem medo! é a melhor coisa que pode existir! Abraçar, beijar! Não perde essa oportunidade não..são seus pais e te amam mais do que qualquer pessoa nessa vida! Não devemos sentir "esse sei lá oq" que nos impeça de fazer isso!!!
:)
Força na peruca!!!!! Falta muito pouco!! :)
Nos vemos em poucos diass uhul ;)
Beijokas!
De Rita a 13 de Junho de 2010 às 01:35
Olá Diana!!

Eu compreendo completamente o que queres dizer, apesar de não ser de dar dores de cabeça aos meus pais tb nunca fui muito chegada a eles ao ponto de lhes contar coisas da minha vida (daquelas que normalmente se contam as amigas) e tambem nunca fui capaz de dizer que os amo (ao meu pai disse quando ele estava a ter o avc e acredita que n custou nada)...O que eu acho é que devias arranjar forças para lhes dizer, podes não dizer que os amas mas pelo menos fica com a consciencia tranquila de que eles ficam cá a saber que gostas mesmo muito deles e que vais estar cheinha de saudades... acho que esse peso que tens nesta fase de tanta emoção vai melhorar, porque afinal de contas algum desse peso deve ser pelo facto de quereres mas nao te conseguires exprimir... Acho que quando o fizeres tiras um peso de cima das costas e vais partir muito mais em pz, por isso experimenta ;)

Beijinho*
De Filipa a 13 de Junho de 2010 às 02:19
Rapariga, já com saudades e ainda nem saiste daí?? É normal, este tipo de circustâncias fazem-nos repensar algumas coisas, mas no fim é bom. Pois quando voltas acabas por dar mais valor a coisas e/ou pessoas que tomavas como garantidas. E uma experiência destas só te vai tornar mais próxima das pessoas que realmente gostam de ti, familia/amigos. Vai ser inevitável perderes o contacto com algumas pessoas. Toda a gente diz que não, mas acaba por acontecer, pq na verdade eles seguem as suas vidas normalmente nós é que como estamos longe acabamos por sentir mais a necessidade de falar ou de um carinho especial... mas as relações verdadeiras apenas se vão fortalecer. Por isso anima-te, diz o que tens a dizer, faz o que tens a fazer e vem tranquila, sem pensar no que estás a deixar para trás mas sim no que de novo vais encontrar, porque quando voltares quem te ama ainda estará aí.
De Filipa a 13 de Junho de 2010 às 02:21
Mais uma coisa... o verbo amar é muito pouco utilizado em portugal... ouves imenso no inglês, penso que no Brasil também, mas por alguma razão não se usa muito em Portugal. A maioria de nós não cresceu a ouvir e dizer essa palavra, o que não quer dizer que não a sintamos... mas há outras maneiras de o mostrares... é só seres criativa ;)
De Marta Inês a 13 de Junho de 2010 às 11:06
Mostrar esse lado aos pais de vez em quando tambem faz bem :D
Eles vão ficar muito felizes. E eu sei que no dia do embarque tu vais mostrar isso :)

beijinhos*
De Fernanda a 13 de Junho de 2010 às 15:22
Tenho certeza que esse turbilhão de sentimentos é completamente normal...
Nós, au pairs, que estamos prestes a embarcar nessa jornada passaremos por momentos únicos...
Tenho certeza que você irá se sair muito bem... conseguirá dizer te amo ao seus pais tão queridos na hora certa! Apesar de já estar com o coração apertado tente aproveitar cada segundo, repito, seão momentos únicos...

Muita boa sorte para você... estou torcendo...

E não se esqueça de fazer o famoso último post da sua terra natal!!!!

Bjos grandes
De JORGE a 15 de Junho de 2010 às 18:55
Ainda bem que escreveste isto sobre os teus pais eles já mereciam apesar de não verem be.

fico muito contente que o tenhas feito.

E tambem muito orgulhoso de ti.

bjinhux

Comentar post

Enter your email address:

Delivered by FeedBurner

.links